HISTÓRIA



LINHA DO TEMPO

2005
A Comissão de Psicanálise da Infância e da Adolescência é designada Núcleo da Infância e da Adolescência.

2000
Reconhecida pela IPA a Formação em Psicanálise da Infância e da Adolescência da SPPA.

1999
I Simpósio da Psicanálise da Infância e da Adolescência.

1997
Conclusão da primeira turma de formação de psicanalistas da infância e da adolescência do Instituto de Psicanálise da SPPA.

1996
A Comissão de Psicanálise da Infância e Adolescência é criada na SPPA.

1993
I Encontro de Psicanálise da Infância e da Adolescência na SPPA.

1992
Início do Grupo Optativo de Observação de Bebês na SPPA.

1989
Criação da Formação Psicanalítica de Crianças e de Adolescentes no Instituto de Psicanálise da SPPA.

Anos 80
Inicia a observação de bebês , através do estudo da técnica de Ester Bick. As Dras. Rute Stein Maltz e Nara Amália Caron iniciavam este estudo com idas sistemáticas ao Rio de Janeiro. Naquela cidade estudavam e supervisionavam com a Dra. Geny Talberg.

1970
Início dos seminários sobre a Psicanálise da Infância, na SPPA.

1969
Analistas de Buenos Aires foram convidados a Porto Alegre, entre eles, Arminda Aberastury, Betty Garma, Enrique Pichon-Rivière. O estudo era pautado teoricamente em Melanie Klein, sendo o caso Richard o material clínico norteador escolhido.

Alguns anos depois
Com a coordenação da Dra. Zaira Martins, alguns candidatos do curso de formação de adultos começam a estudar psicanálise de crianças através de supervisões coletivas. Os grupos se davam de maneira informal já contando com a presença das Dras. Rute Stein Maltz, Marlene Silveira Araujo e Nara Amália Caron.

1947
Mário e Zaira Martina retornam de Buenos Aires. O retorno da Dra. Zaira constitui o embrião do movimento da Psicanálise de crianças e adolescentes na SPPA.

1945
Mário Martins partiu para Buenos Aires, juntamente com sua esposa Zaira Bittencourt Martins, para realizarem sua formação analítica, e o fizeram analisando-se respectivamente com Angel Garma – analisando de Theodor Reik e Céles Ernesto Cárcamo.