"Catexia"

por Rosaura Blochtein Lembert


Catexia foi denominado por Freud como o processo de investimento de energia psíquica (parte dos instintos), disponível na mente, que se liga a um objeto, a uma ideia ou a própria pessoa. A partir das fontes eróticas, do próprio corpo, a catexia vai emergindo e transforma-se em vinculada.

No auto-erotismo e narcisismo a catexia está investida no próprio ego. Quando observamos um bebê, está às voltas consigo mesmo, sugando seu polegar, ou olhando suas mãos. Progressivamente vai se voltando à mãe e ao pai.

Compreendemos que no início da vida a descarga motora sob o princípio do prazer é imediata. Com o amadurecimento do ego, há um adiamento da descarga e parte da catexia vai originar o processo de pensamento.

Observamos que o nível mais elevado de investimento da catexia objetal é de uma pessoa apaixonada, pois é capaz de desistir de sua própria personalidade em favor de sua paixão.   

Concluindo entendemos que o processo catexial é um movimento de energia vinculada fundamental para o desenvolvimento do ego, pensamento, relacionamentos e seu entorno.