"Identificação Projetiva"

por Jair Rodrigues Escobar


A identificação projetiva é um mecanismo de defesa, que foi introduzido no pensamento psicanalítico em 1946 por Melanie Klein. Trata-se de um mecanismo que esta muito vinculado as fases do desenvolvimento psicossexual do bebê. Fases estas as quais Melanie Klein deu o nome de posições (depressiva e esquizo-paranóide). O mecanismo de defesa identificação projetiva estaria intimamente vinculado à posição esquizo-paranóide. Este mecanismo caracteriza-se pelo indivíduo expulsar de si e localizar no outro, pessoa ou coisa, qualidades, sentimentos e desejos que recusa. Na identificação projetiva o indivíduo dissocia partes do ego e dos objetos internos que são projetados no objeto externo, o qual então se torna possuído e controlado pelas partes projetadas, identificando-se com elas. A identificação projetiva teria múltiplos objetivos tais como: excindir e se livrar de partes indesejáveis do self que causam ansiedade ou dor; o de projetar o self ou partes do self para dentro do objeto (sujeito), para dominá-lo e controlá-lo, evitando qualquer sentimento de separação; o de penetrar num objeto para apoderar-se e apropriar-se de suas capacidades; o de invadir, a fim de danificar ou destruir o objeto. Através da utilização de tal mecanismo de defesa a criança ou o adulto estaria evitando qualquer percepção de separação, dependência, admiração ou suas concomitantes sensações de perda, raiva e inveja. Por outro lado sofre com ansiedades do tipo persecutório.