"Jacques Lacan"

por Maria Elisabeth Cimenti


E Lacan...quem foi Jacques Lacan?

Badiou define Jacques Lacan como um pensador, considerado uma  figura maior da cena intelectual de seu tempo, além de psicanalista.

Imagine-se agora, circulando em um ambiente intelectual em que Michel Foucault publicava As palavras e as coisas... em meio à revolução estruturalista iniciada por Lévi-Strauss e seguida por Althusser, que  atingia em cheio a Linguística, possibilitando o surgimento da linguística estrutural, criada por Saussure, seguido por Jakobson... Ao mesmo tempo em que a pedagogia desenvolvia estudos revolucionários com Piaget, Vigotsky e Wallon; este último realizando observações importantes sobre a descoberta feita pelas crianças de sua imagem no espelho. Agregue a tudo isso o movimento surrealista, com nomes como Breton e Maiakovski, na literatura; Salvador Dali, na pintura... uma verdadeira revolução! O movimento surrealista foi uma forma de descentrar o sujeito cartesiano. Aparece assim um outro sujeito: o da linguagem. A própria linguagem fica objetivada como uma forma de ser, a exemplo da escrita automática utilizada pelo movimento de Breton. Pois Lacan era muito próximo a tudo isso. Aproximou a Psicanálise e o Surrealismo, ao contrário do que fizeram os psicanalistas da primeira geração.  Participava de um grupo de estudos coordenado por Kojève, do qual fazia parte Breton, entre outros pensadores da época. Estudavam Hegel, que marcou sobremaneira a elaboração teórica de Lacan, principalmente no que se refere à questão da dialética do senhor e do escravo, porque deu fundamento ao estadio do espelho, criado por ele, como o primeiro tempo do complexo de Édipo. Tal descoberta propicia a necessária abertura para seu conceito do registro imaginário, que junto aos dois outros registros, o simbólico e o real, definem uma nova configuração metapsicológica para a psicanálise. Este homem, o homem Lacan, assim como Freud,  buscou na cultura as bases de seus inventos psicanalíticos. Publicou Os escrito em 1966, na França do apogeu intelectual. .

Foi igualmente reconhecido na Psicanálise como um pensador. Apesar de todas as controvérsias que envolveram seu nome, provocou transformações em sua geração de analistas, assim como em gerações que se seguiram. Firmou-se, indiscutivelmente, como um teórico consistente de idéias inovadoras, que revisita Freud e a partir daí, cria sua própria obra, a qual na verdade leva até às últimas consequências os aportes freudianos. Talvez possa ser considerado como um dos mais fiéis seguidores de Freud, porém,  sem abrir mão de seu pensamento próprio.

A importância da Psicanálise francesa antes e depois de Lacan marca o valor de sua contribuição. Mesmo psicanalistas que relutam em reconhecer o significado de Lacan para a Psicanálise, utilizam em suas teorias contribuições aportadas por ele, como o conceito de significante, oriundo da linguística, além de outros.

E Lacan, psicanalista, como se coloca? Embora sendo um teórico notável, em momento algum, abriu mão do psicanalista. Exercia a função Psicanalítica levando a linguagem como o seu divisor de águas entre o saber e a verdade. A verdade do inconsciente para ele está ali onde a linguagem comete o equívoco, onde ocorre o tropeço e onde o furo do saber aparece. Ali está o sujeito do inconsciente. Para ele, portanto, o sujeito está no coração da experiência analítica e, uma vez, submetido à cadeia significante, sempre será dividido e exposto a uma radical alteridade, encontrada no discurso do Outro.

Sua propriedade clínica neste ponto de vista é indiscutível. Entretanto, esta ética para com a verdade do inconsciente não  assegurou a Lacan o aplauso da comunidade psi, pelos rompimentos que propôs na técnica, através da utilização do tempo lógico. Foram muitos os protestos e rechaços que sofreu em função de sua técnica. Mesmo assim, os depoimentos de seus pacientes colhidos a posteriori são unânimes ao falar de sua delicadeza e cuidado para com eles, ao lado de um profundo rigor com a verdade, verdade no sentido psicanalítico, verdade do inconsciente.

Este foi Jacques Lacan: um pensador que, conseguiu aproveitar idéias dos movimentos  mais revolucionários de seu tempo, para recriar a Psicanálise